Especialidades

Escleroterapia com espuma ecoguiada:

Esta técnica permite o tratamento de varizes , de veias safenas, e de veias doentes que não são passíveis de serem operadas por serem muito profundas, necessitando de cortes na pele que deixam cicatrizes inestéticas. É indispensável a utilização do aparelho de ultrassom, que guiará todo o procedimento que pode ser feito de forma ambulatorial.


A veia é puncionada orientada pela imagem do ultrassom e depois cateterizada. É confeccionada uma espuma densa com uma substância esclerosante ( polidocanol), que é injetado dentro da veia a ser tratada sob visão direta no ultrassom. A perna é enfaixada e o paciente retorna ao seu domicilio. Este tratamento é realizado por sessões, podendo ser necessárias mais de uma sessão para ocluir a veia doente.

Criolaser e o ClaCs ( criosescleoterapia associado ao criolaser)

Cryolaser e Cryo escleroterapia - é uma modalidade de tratamento que combina laser, escleroterapia, e jatos de ar gelado sobre a pele. A combinação do laser e a escleroterapia, injeções com o uso de substâncias esclerosantes como a glicose, é vantajosa. A injeção de glicose em um vaso tratado por laser há poucos instantes tem seu efeito potencializado. Isso acontece porque o laser causa alterações no fluxo sanguíneo local, tornando-o mais lento e favorecendo a ação prolongada do "medicamento" no local. Assim, o tratamento de áreas extensas é mais rápido e efetivo com a combinação das duas técnicas.


O laser é não invasivo. O equipamento emite pulsos de luz que atravessam a pele e são absorvidos 30 vezes mais pelo sangue que pelo tecido cutâneo. Portanto, pode ocluir as varizes sem danificar a pele. A glicose é aplicada apenas em cerca de 30% dos pontos tratados com laser, principalmente em locais onde a veia ainda não fechou.


O uso de equipamento que sopra ar gelado ( Siberian), com temperaturas de até – 20º C sobre a pele é obrigatório. A dormência da pele provocada pelo frio diminui a dor e reduz efeitos indesejados como queimaduras. Isolado, o Cryolaser também é indicado para o tratamento de telangiectasias (vasinhos) na face, nariz e tronco.

Cirurgia de Varizes a Laser

A técnica cirúrgica para o tratamento de varizes quando há envolvimento das veias safenas, que, portanto devem ser tratadas. Consiste na passagem de um cabo por dentro da veia safena por meio de dois cortes na pele, sendo um na virilha e outro no tornozelo ou próximo ao joelho. Realizamos o tratamento de vias safenas com procedimentos minimamente invasivos utilizando um aparelho de laser e outro de ultrassom.


A técnica consiste no cateterismo da veia guiado pela imagem do ultrassom e posterior passagem da fibra óptica do endolaser por dentro da safena. São emitidos pulsos de laser dentro da veia que são absorvidos pelo sangue, gerando calor, que lesa a parede interna do vaso, causando sua oclusão, fibrose e reabsorção pelo organismo. Possibilita menor dor , hematomas e inchaço no pós operatório, com retorno mais rápido às atividades, além de não haver cortes na pele. As caminhadas precoces são estimuladas

Ecodoppler Vascular

Consiste na associação de três modalidades do aparelho de ultrassom que permitem avaliar de modo não invasivo o sistema circulatório ( veias e artérias). Realizamos o ecodoppler de todos os vasos do corpo que são possíveis de serem avaliados por este método.


Os exames mais comumente realizados são: avaliação das artérias carótidas no pescoço, avaliação das artérias dos membros superiores e inferiores, avaliação das veias dos membros superiores e inferiores, avaliação da circulação abdominal (aorta e ramos), avaliação da circulação dos rins, entre outros.

Escleroterapia de vasos

A escleroterapia dos vasinhos nas pernas ( telangiectasias ) é realizada através da injeção de substâncias esclerosantes ( como a glicose) dentro do vaso a ser tratado. O medicamento causa uma irritação na parede interna da veia e esta oclui e some com o passar dos dias.


Utilizamos a técnica da escleroterapia ampliada, onde aplicamos 10 ml do medicamento, ao invés dos 3 ml habitualmente utilizados. O objetivo é permitir o tratamento de maior quantidade de veias por sessão, reduzindo o tempo de tratamento. Também é possível tratar as veias "nutridoras" dos vasinhos, o que aumenta a durabilidade do procedimento.